22 abril 2008

SOBRE A DÉ

Eu acho o amor uma coisa estranha.
A gente corre o risco de esbarrar em alguém por aí que, de repente, não mais que de repente, se torna um dos grandes amores da sua vida.
Em alguns casos, amor que transcende pequenos detalhes como idade, sexo, profissão, classe sócio-econômica.
Em outros, amor que transcende falhas sérias de caráter.

Eu sou filha da puta.
Não no sentido literal, porque minha mãe é uma pessoa sensacional.
Mas no sentido figurado, de ser errada e ter atitudes erradas.
De prometer e não cumprir.
De criar expectativas e deixar no vácuo.
Ou pior, às vezes de nem se pronunciar.
Eu sou assim.
Faço merda adoidado com as pessoas e, a pior.
Faço merda com quem eu mais amo.

E mesmo assim, tenho uma amiga que consegue me tolerar mesmo assim.
E mais.
Essa amiga consegue me amar e sentir minha falta.
Essa amiga me diz que está com saudades de mim e eu acredito.
Essa amiga consegue me fazer me sentir mal de verdade comigo mesma.
Porque ela tem o coração do tamanho do mundo, e mesmo com os muitos problemas que ela tem, sempre tem um espaço guardado para mim na vida dela.

Aí eu vou lá e cago tudo.
Prometo e não cumpro.
Falo e depois sumo.
Juro e não assumo.
E ela segue me perdoando.
Não entendo MESMO porque eu mereço uma pessoa sensacional assim na minha vida.
Mas ainda assim eu tenho essa pessoa sensacional na minha vida.

Desculpa, Dé.
Desculpa mesmo por eu não conseguir ser uma pessoa melhor.
Mas, por favor, não desiste de mim, tá?
Embora muitas vezes eu não consiga traduzir muito bem, sua amizade, sua dedicação, seu carinho, seu cuidado, tudo isso é muito importante para mim.

Eu te amo, zebra!
Os grandes amores da minha vida estavam lá, ao meu lado, no altar (menos os cachorros, que não foram convidados), compartilhando comigo do dia mais importante da minha vida.
Meus pais, meus irmãos, minha cunhada com meu sobrinho no forninho, minha tia, minha prima e a amiga que eu escolhi para ser minha irmã.
Obrigada, querida!
Obrigada por fazer parte da minha vida e por me ensinar sempre a ser uma pessoa melhor.

Um comentário:

vfortes disse...

Sei como é.
Eu tenho uma Dé na minha vida e também não entendo como é que ela me aguenta.